29 de mar de 2016

Resenha: Conquistando o garoto

|

Conquistando o Garoto



Sinopse: 2050. Sem água. Sem democracia. A esperança surge das Pedras Lunares. 

Letícia estuda em um colégio interno, mas não esta preocupada com a guerra lá fora e sim com sua aula de história onde terá que apresentar uma peça de teatro. 
Criar uma peça de teatro é moleza, o problema é aguentar seus amigos querendo ser os cupidos, e olha que eles nem sabem o que é isso. E agora? Como sobreviver a essa peça e ao garoto? 
Venha conhecer esta comédia romântica, com uma pitada de magia e um leve tom de distopia. O primeiro volume da série Pedras Lunares.







Em Conquistando o Garoto, Vanessa Sueroz continua com sua fórmula acertada para o público juvenil. Um história leve de amor. Vários amigos reunidos e muita conquista e amores revelados entre eles.
O tempo que eles vivem já é muito distante do nosso, mais precisamente no ano de 2050, e o mundo em que vivem é algo parecido com um mundo distópico. O que os mantinham eram as Pedras Lunares, que eram fontes de energia para eles. Mas apesar de toda a mudança com o mundo atual, os colégios continuam existindo e também as obrigações escolares. Então, neste ano, a turma de Letícia, a personagem principal teria que apresentar uma peça de teatro.

Alguns pontos sempre se repetem nos livros da Vanessa, e um que gosto bastante é que suas personagens sempre são leitoras vorazes, em Conquistando o Garoto ainda temos a presença de várias obras e filmes, como ideias para a adaptação em peça teatral.

Um outro ponto, mas que dessa vez não me agrada tanto é o excesso de personagens. Eu sempre fico confusa com isso e como a alternância entre nome e apelidos, isso acaba confundindo ainda mais.

De modo geral, Vanessa sabe escrever muito bem para os jovens e seus livros são fáceis e rápidos de ler, Conquistando o Garoto traz mais um pouco disso, onde a distopia é apenas um plano de fundo para os acontecimentos daquele grupo de amigos.


16 comentários:

  1. Olá, Nati! Tudo bem?
    Não conhecia o livro, mas gostei bastante do seu ponto do vista. Ando precisando de uma leitura mais leve e juvenil, dica anotada aqui.

    Até mais!

    ResponderExcluir
  2. Oi? 2050? Olhando para esta capa eu nunca na vida diria que o contexto da história é este, hehe.
    Hummm, então em 2050 ainda existirão as escolas? Achei que já seria tudo online, hiuahiua.
    Personagens que gostam de ler são puro amo mesmo!!!
    Acredita que ainda não li nenhum livro da minha Xará?

    Beijo, Vanessa Meiser - Retrô Books
    http://balaiodelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, não conhecia o livro ou a autora, mas achei a premissa bem interessante e com certeza leria, já que é um livro que tem romance e distopia ao mesmo tempo. A capa do livro me remetia a outra coisa, acho que a sinopse e a capa não estão casando (rsrsrsrs)
    Com certeza lerei esse livro. Adorei a resenha.
    bjus
    http://recantoliterarioeversos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ooi! Esse é um livro da Vanessa que fiquei bem curiosa para ler. Gosto da escrita da autora e essa obra parece ser mais uma que eu iria curtir.
    Beijos
    Sil - Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  5. Oiii, tudo bem?
    Achei essa capa é um amorzinho, fiquei bastante curiosa para realizar a leitura da obra, porém acredito que em 2050 as coisas serão bem mais evoluídas e diferentes.
    Beijão

    ResponderExcluir
  6. Olá Nati, tudo certo?

    Eu não conhecia essa obra, achei a capa muito leal, bem fofa. A premissa é bem interessante, certamente eu pegaria para ler por se tratar de romance e distopia. Fiquei de fato curioso em relação ao livro "Conquistando o garoto". Parabéns pela resenha, ficou bem objetiva. Bjusss.
    www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi!!
    Não gostei da capa, ela não chama a atenção, com certeza passaria batido em uma livraria.
    Eu nunca li nada dessa autora, mas pelo que você escreveu ela narra histórias para o público mais jovem, eu gosto de livros assim, desde que não sejam aqueles romances bobos.
    Nossa ela criou uma história em um futuro distópico, isso me agradou. Eu também fico um tanto perdida quando a história tem muitos personagens, isso muitas vezes me faz não querer ler determinados livros.
    Vou tentar ler algo dessa autora, pois me pareceu que suas histórias são leves e envolventes.
    Beijão!
    Lilica - O maravilhoso mundo da leitura

    ResponderExcluir
  8. O contexto da história não me deixa pensar num mundo distópico, ainda mais com essa capa, lamento hahaha ficou uma coisa muito longe da outra, digamos assim.
    A autora parece escrever bem, sempre vejo elogios aqui no seu blog mas ainda não consegui me interessar por nenhuma obra dela :/
    beijo

    ResponderExcluir
  9. Só não curti essa coisa do excesso de personagens, e alternando nomes e apelidos então, acho que daria nó na minha cabeça! rs... É uma pena, porque adorei a premissa, amei o fato deles terem que montar uma peça de teatro e isso permitir a presença de vários livros e filmes como ideias para a adaptação.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  10. Oi, Nati!
    Já me interessei por livros anteriores da autora e uma vez que, infelizmente, não consegui me envolver ou gostar de nenhum deles, por mais que a premissa desse até seja legal, realmente não parece ser o meu tipo de leitura. Essa mistura de personagens que alternam entre nomes e apelidos também me deixa um pouco perdida às vezes, acabo não me envolvendo com nada na história, então infelizmente vou deixar passar. Mas para quem quer algo leve para descontrair, parece mesmo ser uma boa pedida, ainda mais ao colocar o cenário escolar em um tempo distópico, está aí uma coisa até interessante que não vejo com muita frequência.
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional ♥

    ResponderExcluir
  11. Oi Nati!

    Essa capinha tá bem lindinha, né? Gostei do plano de fundo distópico, acho que deve ser o diferencial dessa história. É muito difícil imaginar como serão as coisas para nós em 2050, né? Essa coisa de excesso de personagens não agrada ninguém é deixa todo mundo confuso mesmo, principalmente quando nenhum deles recebe um foco especial.

    Beijo!
    http://www.roendolivros.com/

    ResponderExcluir
  12. Também não gosto quando a obra tem muitos personagens, isso sempre me confunde e acabo não me apegando a ninguem desse jeito. Não me interessei pela obra, a premissa parece boa, mas não e cativou o suficiente.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  13. Oieeee
    Tudo bom?
    Já tive a oportunidade de ler um livro da Vanessa e gostei muito da narrativa dela, mas esse livro em questão não me atraiu ainda mais por saber que tem vários personagens que implica numa confusão da trama.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Nati, eu também gosto muito dessa pegada em que a Vanessa escreve, mas também fico muito confusa com tanto nome e apelido.
    Ela deveria rever isso.
    Ainda não li o livro, mas ainda lerei apesar de não gostar dessa pegada distópica.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  15. Olá, nunca li nenhum livro da Vanessa. Gostei da história desse livro e achei interessante ela colocar uma de suas personagens como uma leitora voraz. E tenho que concordar com você que um livro cheio de personagens nos deixa um pouco confusos. Mas vou dar uma chance para esse livro.
    Bjsss

    http://livrosemarshmallows.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olá, Nati!
    Essa me pareceu aquela história para se ler em uma tarde em que se quer relaxar! Adoro romances com toques de comédia!
    Adorei saber que a personagem principal é leitora voraz (me identifico! Kkkkk).
    O excesso de personagens é um ponto negativo que levo muito em consideração antes da leitura (ou após, quando leio desavisada e quero indicar/não indicar a alguém).
    Adorei a sua resenha!
    Beijos!

    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Sejam bem-vindos e fiquem à vontade para comentar!

Comentários ofensivos e similares não serão aceitos.